Um ano novo... Ou um novo dia? - Blog de Maurício Louzada - Mauricio Louzada

Busca
Palestras Motivacionais
de alto impacto
Ir para o conteúdo

Menu principal:

Um ano novo... Ou um novo dia?

Publicado por Maurício Louzada em Para a Vida · 5/1/2011 06:09:00
Permita-me começar citando Carlos Drummond de Andrade:

"Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias, a que se deu o nome de ano, foi um indivíduo genial; industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no limite da exaustão. 

Doze meses dão para qualquer ser humano cansar e entregar os pontos.  Aí entra o milagre da renovação, e tudo começa outra vez, com vontade de acreditar que daqui por diante vai ser diferente!"

Que retrato bem feito do que sentimos a cada ano, a cada promessa renovada...  Se elas serão cumpridas ou não, depende de nós, das nossas ações e determinações.

Refletir sobre essa renovação me faz pensar: o que o dia 01 de janeiro tem de especial? Quando o sol nasce naquela manhã, reproduz o seu ritual diário dos outros 364 dias do ano, na mesma posição, com a mesma velocidade, e emitindo luz com a mesma intensidade. Porém , a simbologia que atribuimos a esse dia, faz com que ele se torne especial. Faz pensarmos que podemos renovar nossas promessas, e realizar tudo o que queremos...  O “Ano Novo” está dentro de cada um de nós.

E como somos nós que atribuimos o significado a esta mudança de ano, também devemos perceber que dentro de nós está o poder realizador que faz cada promessa sair do campo da imaginação e vir para o campo da realidade.  Só de olhar nas bancas, percebi que o número de publicações voltadas para astrologia, numerologia e simpatias bateu recorde no final de 2009, o que mostra que grande parte das pessoas atribui o seu sucesso e seu futuro a fatores que estão fora de seu controle: à  sorte, ao posicionamento zodiacal ou às crenças populares. É uma saída fácil para quem não quer assumir o controle e a responsabilidade sobre seu próprio futuro, afinal, é mais cômodo esperar que os “astros” resolvam, do que encarar a difícil tarefa de “pagar o preço” dos seus sonhos. Ah! E ainda com uma grande vantagem: se não der certo, todos tem em que pôr a culpa: “os astros não estavam favoráveis” ou “isso não era para mim”...

Igualmente sem efeito é não acreditar nestas coisas, mas também não estabelecer metas, objetivos,  foco em suas ações e tentar realizar seus sonhos de maneira desorganizada e sem um planejamento adequado. Esta é uma armadilha na qual o caçador e caça são a mesma pessoa. Ao se inserir neste processo, as pessoas estão escrevendo sua própria história de fracasso.

Porém, ao agir no caminho contrário e tomar as rédeas do destino em nossas mãos, passamos a ter um papel ativo na realização daquilo que propomos. Nossas crenças se alteram: se os astros estão contra, seremos maiores do que eles... Se cairmos 10 vezes, levantaremos 11...  Se todos estiverem contra, acreditaremos no nosso potencial... Se um processo falhar, encontraremos outro. Como disse Confúcio: “Encontraremos um caminho... Ou criaremos um...”

Essa energia realizadora, proveniente da nossa auto-confiança, dos nossos valores e da consciência de nossa missão pessoal e profissional nos traz para uma outra realidade: enquanto a maioria das pessoas consegue sentir o “milagre da renovação” somente na mudança de ano, quem escolhe se motivar, planejar e realizar seus sonhos, pode sentir isso a cada segundo. É um constante “Ano Novo”, uma constante promessa de renovação e realização, acompanhada de atitudes e determinação.  Exatamente assim, como estamos nos sentindo agora.

A propósito: FELIZ ANO NOVO!

Atrasado? Não...  FELIZ SEJA O ANO NOVO QUE COMEÇA AGORA,  E A CADA SEGUNDO EM NOSSAS VIDAS ! Drummond que nos perdoe!

(Permitida a reprodução, desde que citado o autor: Maurício Louzada)



Sem comentários

Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal