O incrível caso do chef que perdeu... (acredite!) o paladar. - Blog de Maurício Louzada - Mauricio Louzada

Busca
Palestras Motivacionais
de alto impacto
Ir para o conteúdo

Menu principal:

O incrível caso do chef que perdeu... (acredite!) o paladar.

Publicado por Maurício Louzada em Para Você · 15/7/2009 02:44:00
Onde está o seu limite? Será que você poderia estar fazendo um pouco (ou muito) mais do que você tem feito hoje?

Como podemos descobrir aquela "dose" extra de esforço, profissionalismo e dedicação que temos, e podemos usar a favor do nosso trabalho?

Acho que podemos aprender muito com um famoso chef americano chamado Grant Achatz. Sempre reconhecido por suas incríveis habilidades e muito premiado, inclusive como o "Melhor Chef dos Estados Unidos", Grant virou um exemplo do que podemos fazer para superar os problemas que aparecem em nossas vidas. E mais do que isso: sua história nos mostra que temos muitos mais recursos do que aqueles que realmente utilizamos, e nem sequer nos damos conta disso.

Em 2007, Grant foi diagnosticado com um tipo de câncer na faringe, que se estendou por sua boca, causando perda total do paladar.

A situação se apresentou de tal forma na vida de Grant, que o mais racional seria que ele se afastasse da cozinha até sua recuperação total. Porém, o chef não deixou de ir um único dia ao trabalho. Sabendo que o paladar não seria seu aliado, Grant começou a criar pratos onde a variação de cores, a beleza e o aroma eram incríveis! Seus pratos superavam a expectativa dos clientes, e Grant contava com o apoio da sua equipe para auxiliar nas dosagens de sal e outros condimentos que só poderiam ser percebidos pelo paladar.

O resultado é que o restaurante chefiado por Grant, o Alinea em Chicago, se tornou um destaque, não por essa história, mas pela qualidade dos pratos servidos.

Grant sempre teve à sua disposição os sentidos da visão e olfato, mas somente ao perder o paladar passou a dar atenção especial a estes outros sentidos.

Muitas vezes em nosso trabalho, nossas características consideradas essenciais acabam sufocando outras caracterísitcas complementares, que seriam de grande importância para criarmos um trabalho diferenciado. Porém, os profissionais se concentram tanto em fazer o que é sua "obrigação", que acabam deixando de lado aquele talento extra, muitas vezes o talento que mais retrata sua missão e visão de vida.

Para descobrir e utilizar estes outros "sentidos" em nossa vida, precisamos antes de mais nada estar abertos ao potencial criativo que existe dentro de cada um de nós.

Ser criativo é perguntar "Por que não?", onde a grande parte das pessoal perguntam "Por quê?". Se você olhar para trás, verá que já teve uma porção de idéias que não foram colocadas em prática porque elas não estavam associadas ao "arroz e feijão" de cada dia.

Colocar essas idéias em prática, em suma, significa dar um passo na direção de contrariar o óbvio. E é exatamente isso que fazem as pessoas de sucesso: olhar para o mesmo lugar que todos olham, mas ver algo diferente!

Pensar em um prato, vendo além do "paladar", pensar em uma campanha de incentivo, vendo além das "recompensas financeiras", pensar em uma nova campanha na empresa, vendo além do "sempre fizemos assim", contratar uma nova palestra, vendo além do "meus colaboradores só gostam disso".

Talvez, dentre outras coisas, podemos aprender com o incrível chef "Grant Achatz", que sempre há um caminho inovador para fazermos a diferença.

A propósito, o prêmio de "Melhor Chef dos Estados Unidos" recebido por Grant, veio em 2008, mais de um ano depois do câncer.

Dá para imaginar o "doce gosto" da vitória que só ele sentiu.

(Permitida a reprodução, desde que citado o autor - Maurício Louzada)



Sem comentários

Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal